8ª Feira Regional de Sementes Crioulas

A realização da 8ª Feira Regional de Sementes Crioulas e da Biodiversidade no dia 19 de julho em São Pascoal, município de Irineópolis-SC foi uma grande demonstração de força e união da Agricultura Familiar e Camponesa. Na organização geral trabalharam juntas a partir de comissões famílias agricultoras tradicionais e assentadas pela reforma agrária do Planalto Norte Catarinense, organizações de base como a Cooperativa de Comércio Solidário (Comsol), Associações Agrupar e Apaeco, o Sintraf Planalto Norte e Sintraf Irineópolis, a Cresol Irineópolis, a Epagri Irineópolis e AS-PTA. Compareceram delegações de pelo menos 22 municípios das regiões Sul e Centro Sul do Paraná, Planalto Norte e Litoral Catarinense. Foram mais de 30 bancas expondo a imensa riqueza representada pela diversidade cultivada e conservada pelas famílias, entre sementes crioulas de milho, feijão, arroz, trigo, centeio, tubérculos e raízes, hortaliças e artesanatos feitos com sementes, além de flores, sucos, geléias, doces e conservas de frutas nativas. Como convidados estavam representantes da Assesoar, do Sudoeste do PR que expuseram o trabalho com raças puras de galinhas caipiras e com armazenamento de grãos com tecnologias apropriadas.A celebração deu o tom místico e também político ao chamar atenção para a destruição de vidas humanas e a contaminação do ambiente em geral provocado pelo uso de agrotóxicos, adubos químicos, sementes transgênicas e pela ganância que marcam o modelo do agronegócio. O contraponto foi dado pela grande movimentação de todos e todas em meio as bancas, buscando a troca e venda de sementes e mudas e o intercâmbio de experiências.O tema da feira foi: “pelo direito de não plantar e nem consumir transgênicos”. Nesta linha, todas as variedades de milho levadas para a feira foram submetidas ao teste de contaminação por transgênicos realizado no local. Todas ganharam um selo de “Livre de Transgênicos” e as famílias assinaram declaração que não plantam e nem querem plantar transgênicos. Pelo contrário: querem manter o direito de manter e m multiplicar as sementes crioulas, passando esta riqueza de geração a geração. Nesta mesma linha foi lançado o abaixo assinado contra a liberação do milho transgênico que será levado adiante em outras regiões do país, ambas ações realizadas em sintonia com a Articulação Nacional de Agroecologia (ANA). São ações nacionais e globais referenciadas pelas práticas locais, mostrando sustentabilidade de processos de construção coletiva de conhecimento ancoradas experiências realizadas em cada família agricultora.

Isto foi postado em Notícias dentro de com os temas e as tags , , ,
Imprimir Este ArtigoFaça um comentárioCompartilhe no Facebook

Postar um comentário

Seu email nunca vai ser compartilhado. Campos obrigatórios são marcados com *

Login with Facebook

*
*

Você pode usar estas tags HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Current month ye@r day *