Encontro Mulheres, Agroecologia e Plantas medicinais

O objetivo é dar maior visibilidade ao papel que as mulheres desempenham em suas comunidades e buscar estimular a articulação de alianças e redes regionais e nacionais que permitam uma maior disseminação das experiências conduzidas em escala local.

Para tanto, a comissão organizadora identificou e selecionou experiências de agricultoras que sejam representativas de redes regionais (Amazônia, Cerrado, Sudeste, Sul e Nordeste) e movimentos nacionais que abordam o tema mulheres e plantas medicinais, tais como o Movimento de Mulheres Camponesas, a Marcha Mundial de Mulheres, o Instituto de Mulheres Negras do Amapá, o Polo da Borborema, o Coletivo Cariri, Seridó e Curimataú, além de organizações da sociedade civil, como AS-PTA, FASE, Comissão Pastoral de Terra, Terra de Direitos.

Durante os três dias do evento, serão realizados debates sobre políticas públicas, trabalhos em grupo, exposição de algumas práticas (por meio da atividade Carrossel de Experiências), visitas a campo e, como não poderia faltar, a Feira de Saberes e Sabores.

As mulheres do campo sempre estiveram à frente da diversificação de culturas, do cultivo de plantas medicinais e do despertar para a transição agroecológica das unidades familiares. A importância disso se reflete não só no rendimento da produção dos sistemas, como também na reprodução dos modos de vida camponesa nas mais variadas realidades do Brasil.

São também as mulheres agricultoras que garantem a passagem de geração para geração de uma grande variedade de conhecimento acerca das qualidades, propriedades e aplicação das plantas para a saúde humana e animal. O momento, portanto, é de resgatar e valorizar esse conhecimento tradicional, muitas vezes desqualificado pelas indústrias farmacêuticas a serviço de grandes transnacionais que contribuem para a consolidação do mercado da doença, que incentiva a substituição de remédios caseiros pelos sintéticos.

Visibilizar o papel das mulheres no cultivo, no preparo e no uso das plantas medicinais é fortalecer esse movimento de resistência que luta pela autonomia das mulheres e pela soberania dos povos.

SERVIÇO

Data: 26 a 28 de outubro

Local: Hotel Fazenda Day Camp (Campina Grande)

Contatos: Ana Barros anabarros@rede-mg.org.br; Adriana Galvão adriana@aspta.org.br; Adriana Gondim adrianagondim@esplar.org.br; Beth beth@ctazm.org.br; Diana Mores dianamores@yahoo.com; Léa leoniastrm@yahoo.com.br; Nenzinha nenzinha@caa.org.br; Viviane Ramiro vivianeramiro@click21.com.br; Vanessa vanessa@fase.org.br

 

PROGRAMAÇÃO

 

DIA 26/10/2010

MANHÃ

- Abertura: mística e apresentação

- Debate: Modelo de desenvolvimento e implicações na vida das mulheres e plantas medicinais.

TARDE

- Carrossel de Experiências

NOITE

Feira de saberes e sabores

 

DIA 27/10/2010

MANHÃ

- Visitas às experiências do Pólo da Borborema, do Coletivo Cariri, Seridó e Curimataú e do Centro Nordestino de Medicina Popular

TARDE

- Debate: A Política Nacional de Plantas Medicinas e o acesso à biodiversidade

NOITE

Feira de saberes e sabores

 

DIA 28/10/210

MANHÃ

- Trabalho em grupos com questões orientadoras para síntese de propostas

- Encaminhamentos finais;

- Avaliação do encontro

- Mística de encerramento

 

 

Isto foi postado em Notícias dentro de com os temas , , e as tags , , ,
Imprimir Este ArtigoFaça um comentárioCompartilhe no Facebook

Um comentário

  1. Postado 27 de junho de 2015 às 21:32 | Permalink

    São principalmente as mulheres que difundem nas famílias através do tempo o conhecimento dos recursos da natureza adquiridos durante várias gerações.

Postar um comentário

Seu email nunca vai ser compartilhado. Campos obrigatórios são marcados com *

Login with Facebook

*
*

Você pode usar estas tags HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Current month ye@r day *