Multiplicação de sementes crioulas mobiliza assentamentos no Paraná

 

Uma dessas iniciativas tem sido conduzida no Assentamento Mimo, em Irineóplis (SC), e no Assentamento São Francisco, comunidade do Pinhalzinho, Bela Vista do Toldo (SC). Ali, juntamente com a assessoria de alguns parceiros, como a AS-PTA, os agricultores implantaram campos de multiplicação de sementes crioulas, principalmente no caso do milho.

No dia 14 de outubro, professores e alunos da Escola Estadual Stanislau Shulmann visitaram o Assentamento São Francisco, município de  Bela Vista do Toldo. Ali, a maioria das famílias planta árvores frutíferas para gerar renda, sendo o kiwi a principal delas. Apesar de serem grandes as propriedades do assentamento têm poucas lavouras, devido ao solo pedregoso, deixando muitas áreas livres para as plantações de pinus e eucalipto, além de existir poucas árvores nativas.

Na ocasião, porém, os visitantes tinham como objetivo testemunhar a implantação de um campo de multiplicação de sementes crioulas de milho por 15 agricultores. A escolha do Assentamento São Francisco se justifica pelo fato de ser situado em uma área bem isolada e, portanto, sem risco de contaminação por sementes transgênicas.

Estamos trabalhando em parceria com a escola Estanislau Shulmann nesse assentamento desde 2008 e, de lá pra cá, 25 famílias já vêm multiplicando mais de 20 variedades de sementes de milho crioulas, explicou André Emilio Jantara, assessor técnico da  AS-PTA.

O campo de multiplicação, ocupando cerca de 1.500 m², foi montado com variedades de milho palha roxa de procedência da propriedade da família de Hamilton Paisani. O preparo do solo foi arado e gradeado com tração mecanizada. Já a colocação do adubo e o plantio das sementes foram feitos manualmente. A adubação usada foi a mistura de pó de basalto e adubo da independência.

Mais adiante a ideia é fazer um mutirão para a primeira carpida, quando também faremos o plantio de feijão de porco entre as linhas do campo de multiplicação de milho crioulo da variedade palha roxa, conclui Jantara (AS-PTA).

A multiplicação de sementes crioulas cumpre uma importante função ao garantir a biodiversidade própria da agricultura familiar camponesa e vai na contracorrente da homogeneização imposta pelas poderosas multinacionais do agronegócio.

 

 

 

 

 

Isto foi postado em Notícias dentro de com os temas e as tags , , , ,
Faça um comentárioCompartilhe no Facebook

Um comentário

  1. Fernanda Flavia
    Postado 21 de Fevereiro de 2016 às 19:59 | Permalink

    Prezados(as),

    Faço parte de uma casa espírita de Belo Horizonte que possui um terreno na cidade de Jaboticatubas, zona rural. Neste terreno temos o Abrigo Orvalho de Luz, onde ainda não temos moradores, mas está em fase final de construção e já atendemos há mais de 20 anos famílias carentes da região.
    O terreno é muito grande e gostaríamos de aproveita-lo plantando alimentos orgânicos para a comunidade, beneficiando assim a casa, os agricultores e todos que tiverem acesso a esse alimentos, dividindo a produção em doações (abastecimento e tratamentos de saúde) e vendas em Belo Horizonte.
    Como podemos obter sementes crioulas?
    A AS-PTA oferta cursos?

    Desde já agradecemos,
    Fernanda Flávia Martins Ferreira

Postar um comentário

Seu email nunca vai ser compartilhado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Login with Facebook

*
*