Juventude do Polo da Borborema visita experiência de jovem com Campos de Multiplicação de Sementes e Fundo Rotativo Solidário em Solânea

Visita Jovens SolâneaUm grupo formado por 16 integrantes da Comissão de Jovens do Polo da Borborema, na Paraíba, visitou na última terça-feira, 23 de julho, a experiência de Marília Barbosa Franco, 25 anos, com campos de multiplicação de sementes e Fundo Rotativo Solidário (FRS) de pequenos animais. Marília faz parte da comissão de jovens do Polo da Borborema, é coletora de sementes e está engajada no trabalho do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Solânea. Ela vive com os pais e mais um irmão no assentamento Nossa Senhora da Conceição, na comunidade de Goiana, em Solânea e, por motivo de doença na família, a jovem acabou assumindo com o pai praticamente todo o trabalho e as responsabilidades sobre a propriedade. Na área de 17 hectares eles produzem milho, feijão, fava, macaxeira, maxixe, capim sorgo, batata doce e coentro, além das fruteiras de pinha, melancia, goiaba, acerola, limão e mamão. A jovem conta que o que produzem, com a ajuda da cisterna calçadão que construíram no final de 2009, vai para o consumo da família ou doação a vizinhos e parentes. A fonte de renda está na criação de animais como bodes, cabras, bois, cavalo e galinhas, de onde também vendem os ovos.

O grupo de 16 jovens veio dos municípios de Casserengue, Remígio, Lagoa Seca, Solânea, Arara, Areial, Lagoa de Roça e Queimadas, interessados em conhecer a experiência de Marília com um campo de multiplicação de sementes e Fundo Rotativo Solidário de pequenos animais. Ela explicou ao grupo que conheceu a experiência do campo visitando outras propriedades e resolveu pegar sementes de milho do banco de sementes de sua comunidade e experimentar na terra dos seus pais para, segundo ela, “não tá comprando sementes de fora e ter certeza de ter sempre uma semente limpa, sem transgênicos e sem veneno”. Consciente do papel do campo de multiplicação Marília ainda completa: “Porque se eu pego semente lá do banco e não multiplico pra devolver, aí o banco se acaba, né? E a gente perde as nossas sementes”.

Visita Jovens SolâneaO grupo ficou bastante empolgado com a experiência e manifestou a vontade de experimentar também em suas propriedades, o que saiu como propostas de encaminhamento da visita para futuras ações. “Isso é que é importante, não só a gente ver uma coisa dessas e deixar pra lá, mas tentar colocar em prática nas nossas comunidades, tentar praticar o que aprendeu”, comenta Márcia Rodrigues, jovem de Lagoa Seca e da Comissão de Jovens do Polo.

Emanoel Dias, assessor técnico da AS-PTA que acompanha a Comissão de Sementes do Polo da Borborema, e esteve presente à visita explicou detalhadamente aos jovens o que são os campos de multiplicação e ressaltou a importância que eles cumprem: “cada agricultor já conhece aquela semente que é adaptada à sua região, que melhor produz, acontece que em alguns locais, essas sementes tradicionais estavam se perdendo, até pela chegada das sementes de fora, distribuídas pelos governos. Então os campos de multiplicação cumprem essa função de multiplicar essas sementes e não deixar que elas se percam”, explica.

A comitiva de jovens visitou ainda os roçados que Marília faz com o pai e a criação de animais. A jovem agricultora explicou que iniciou participando de um FRS que a AS-PTA apoiou com dois animais e hoje ela já tem sete bichos, entre cabras, bois e vacas. “Graças a Deus, hoje meu pai só me dá mesmo a comida, o resto que eu preciso, tudo sou eu quem compro mesmo, com o dinheiro que apuro das minhas criações”, conta orgulhosa. Marília também se preocupa com a alimentação para os animais quando chegar o tempo seco de novo. Recentemente trocou uma de suas vacas por três carroças de palma para plantar e oferecer aos animais quando não houver mais tanto pasto disponível.

SAM_2958Marília, que está noiva e deve ser casar no ano que vem, não pensa em deixar o trabalho no sítio da família: “vou construir uma casinha ali e continuar tocando o serviço com meu pai e com ‘ele’”, conta se referindo ao noivo, José, carinhosamente chamado de “Alemão”.

Ao final da visita todos puderam discutir as suas impressões e os sentimentos que levarão consigo. Lucicleide Monteiro dos Santos, tem 17 anos, veio de Casserengue e saiu bastante entusiasmada da visita: “Eu aprendi muita coisa que eu não sabia sobre os campos de multiplicação. Dá pra ver nos olhos da mãe de Marília o orgulho que ela sente da filha e isso é muito bonito, queria parabenizar ela por seu trabalho”, conta. Já Nicácio Silva de Lemos, também de 17 anos, do sítio Tanque, em Lagoa de Roça, conta que sai com a autoestima fortalecida: “dei mais valor à agricultura e a nós agricultores, achei interessante a experiência dela e quero fazer parecido”.

A visita de intercâmbio foi planejada dentro das ações do projeto Sementes do Saber, que está sendo desenvolvido pela AS-PTA Agricultura Familiar e Agroecologia em parceria com a Comissão de Jovens do Polo da Borborema. O projeto visa apoiar ações que favoreçam a inclusão produtiva de jovens rurais por meio do incentivo as iniciativas que os jovens já desenvolvem em suas comunidades como Fundos Rotativos Solidários de pequenos animais e sementes e a produção de mudas, entre outras. O Sementes do Saber tem abrangência nos municípios de Massaranduba, Queimadas, Remígio, Alagoa Nova e Lagoa Seca, no entanto jovens de outros municípios que integram o Polo se somaram à visita para trocar experiências. O projeto Sementes do Saber conta com o cofinanciamento do Comitê Católico contra a Fome e pelo Desenvolvimento (CCFD) e da União Europeia.

Isto foi postado em Notícias dentro de com os temas e as tags , ,
Imprimir Este ArtigoFaça um comentárioCompartilhe no Facebook

Postar um comentário

Seu email nunca vai ser compartilhado. Campos obrigatórios são marcados com *

Login with Facebook

*
*

Você pode usar estas tags HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Current month ye@r day *