Polo da Borborema apresenta experiências em rota de aprendizagem do Programa Semear sobre construção do conhecimento

Apresentação do PoloAgricultores do Polo da Borborema na Paraíba apresentaram o conjunto de suas experiências no dia 24 de agosto, no Centro Marista de Eventos, em Lagoa Seca-PB, a um grupo composto por representantes de diversas organizações, entre instituições públicas, não governamentais, de pesquisa e extensão e grupos produtivos, todos participantes da terceira Rota Estratégica de Aprendizagem, uma das metodologias do Programa Semear – Gestão do Conhecimento em Zonas Semiáridas do Nordeste brasileiro. O programa é implementado pelo Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura – IICA e pelo Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola – FIDA, com o apoio da Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento – AECID.

A terceira rota tem como tema “metodologias de construção e disseminação do conhecimento” e busca estabelecer metodologias que facilitem o diálogo entre os saberes acadêmicos e populares, abrindo caminhos para que agricultoras e agricultores, técnicos e pesquisadores possam compartilhar conhecimentos e leituras sobre a complexa realidade da agricultura familiar.

Apresentação da Comissão de Saúde e AlimentaçãoEntre os dias 23 e 31 de agosto os cerca de 30 participantes viajaram pelos territórios do Sertão do Pajeú e Sertão do Araripe, em Pernambuco e da Borborema, na Paraíba, debatendo conceitos e técnicas relacionados à temática da Rota, visitando iniciativas desenvolvidas por agricultoras e agricultores experimentadores, jovens, educadores e núcleos acadêmicos. A programação da atividade formativa incluiu ainda a construção de Planos Conjuntos de Gestão do Conhecimento, a serem elaborados pelas organizações participantes e que poderão contar com o apoio do Programa Semear.

“A expectativa é que, ao final da Rota, sejam elaborados Planos Conjuntos de Gestão do Conhecimento, com ações articuladas entre as diversas organizações, a partir dos intercâmbios e das aprendizagens gerados no âmbito da Rota Estratégica”, explica Angela Brasileiro, uma das coordenadoras do Semear.

Agricultores/as Experimentadores/as – No dia 24 de agosto, a programação teve início com a apresentação dos participantes e as boas vindas dos representantes da coordenação do Polo da Borborema, que apresentaram a experiência da rede de agricultoras e agricultores experimentadores da região da Borborema, que conta com a assessoria da AS-PTA Agricultura Familiar e Agroecologia. Nelson Ferreira do Sindicado dos Trabalhadores Rurais de Lagoa Seca, Roselita Vitor e Gizelda Beserra do Sindicato de Remígio fizeram uma contextualização do território da Borborema e um resgate histórico sobre o surgimento do Polo em 1993, em seguida apresentaram como o trabalho se organiza hoje, as suas comissões temáticas, os princípios da ação e as disputas políticas existentes no território: “A leitura aprofundada da realidade, feita pelos próprios agricultores, ajudou a qualificar a sua atuação nos momentos de disputa pela afirmação do projeto agroecológico para a região, facilitando o diálogo e a luta por políticas públicas, pois temos o nosso trabalho, mas não quer dizer que tá tudo bonito, não. Tem muita disputa sim, a mão pesada do agronegócio”, lembra Roselita Vitor.

Apresentação da Comissão de Criação AnimalEm seguida os participantes conheceram mais sobre o trabalho por meio da metodologia do carrossel de experiências, onde quatro temas foram divididos em quatro salas: criação animal, saúde e alimentação, arborização e sementes. Por meio destes temas foi apresentado o conjunto das ações e iniciativas que mobilizam as mais de cinco mil famílias agricultoras do Polo. Os participantes, também divididos em quatro grupos, fizeram um “giro” visitando todas as experiências, que foram apresentadas pelos agricultores e agricultoras de municípios como Remígio, Massaranduba, Alagoa Nova, Queimadas, Lagoa Seca, Solânea e Esperança. Após o Carrossel, foi feito um debate sobre a experiência e os participantes da rota puderam fazer perguntas e tirar dúvidas.

No segundo momento foi feita uma apresentação sobre como o trabalho dos agricultores se liga com a pesquisa e com a produção do conhecimento científico. Na ocasião foi apresentado o estudo comparativo, realizado pela AS-PTA e pela Embrapa Tabuleiros Costeiros, com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), que comprovou a qualidade das sementes crioulas, as “sementes da paixão” cultivadas pelos agricultores da região há séculos com as variedades comerciais, distribuídas pelos governos.

Apresentação da Comissão de SementesDe acordo com Marcelo Galassi, coordenador do Programa Paraíba da AS-PTA, que participa da terceira rota como consultor, mesmo sendo um momento de intercâmbio, optou-se por não se realizar uma visita à campo: “pensamos que seria difícil visualizar e perceber a dimensão da rede de agricultores experimentadores, pois como se tratava de um dia de visita, teríamos que optar por uma ou duas comunidades apenas, por isso resolvemos trazer uma representação dessa rede para cá, e expressar através do carrossel, essas experiências, destacando como os agricultores vêm produzindo e disseminando seus conhecimentos”, frisou.

 

Isto foi postado em Notícias dentro de com os temas e as tags ,
Imprimir Este ArtigoFaça um comentárioCompartilhe no Facebook

Um comentário

  1. carlos antonio
    Postado 5 de dezembro de 2013 às 20:05 | Permalink

    parabéns pela iniciativa de diversificar as culturas na região do polo da Borborema, só estou preocupado com a diminuição das roças e das casas de farinha no município de alagoa nova,é uma perda gradativa,que sugere que algo precisa ser feito nessa área.

Postar um comentário

Seu email nunca vai ser compartilhado. Campos obrigatórios são marcados com *

Login with Facebook

*
*

Você pode usar estas tags HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Current month ye@r day *