“Partilha da Colheita” reúne agricultores em Queimadas-PB para celebrar o Dia da Alimentação

Partilha da colheitaNa última quarta-feira, 16 de outubro, dia em que se comemora o dia Mundial da Alimentação foi realizado em Queimadas-PB, agreste da Paraíba, o evento intitulado “A Partilha da Colheita”, pelo Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Queimadas, em parceria com o Polo da Borborema.

No auditório da sede do STR, foi montada uma feira de “Sabores e de Saberes”, onde os cerca de 150 agricultores e agricultoras do município que compareceram, levaram de tudo um pouco do que produzem: frutas na forma de polpas e de doces, mudas, plantas medicinais, sementes, galinhas de capoeira e artesanato.

A programação foi iniciada com a partilha de um café da manhã valorizando os produtos da região. Maria Anunciada Flor, presidente do STR Queimadas abriu o evento apresentando o sentido de uma data como o Dia Mundial da Alimentação para os agricultores. A liderança ressaltou ainda, o papel que as “Sementes da Paixão” cumprem na promoção da segurança alimentar e sua importância para a agricultura familiar: “Com a nossa semente, mesmo o inverno não sendo bom, ela produz, pois é adaptada à nossa região. E a prova disso é o que hoje nós estamos vendo aqui, essa diversidade de produtos, essa riqueza. Por isso a gente quer que o governo nos apoie, comprando as nossas sementes, porque nós temos história, nossas sementes têm história”, disse.

Partilha da colheitaEm seguida alguns agricultores e agricultoras deram o seu depoimento e compartilharam as suas experiências. Pauliana de Luna Barbosa, foi uma delas. A jovem vive no sítio Maracajá e falou do orgulho que tem em viver da agricultura: “Eu fui criada na agricultura, é dela que tiramos o nosso sustento, e tudo que sei aprendi com os meus pais, então a partir de agora eu tenho é que passar isso pra os meus filhos”. Já Fátima Josefa Monteiro, agricultora do sítio Riacho do Meio, contou como está aproveitando a água da sua cisterna de enxurrada, recém construída pelo Programa Uma Terra e Duas Águas (P1+2), para produzir palma doce e uma diversidade de plantas medicinais. A agricultora também ensinou como reaproveita a água em casa: “A água dos pratos eu aprendi que devo jogar no pé das plantas, um pouco de lado, no chão, assim não faz mal e a planta cresce saudável, e ainda com essa economia de água”, explicou.

Emanoel Dias, assessor técnico da AS-PTA Agricultura Familiar e Agroecologia, destacou o papel das mulheres na produção de alimentos e os impactos positivos de programas que permitem o acesso à infraestruturas de armazenamento de água, como o P1+2 e o Programa Um Milhão de Cisternas (P1MC) vem causando na agricultura familiar. Ele lembrou os dados do último censo agropecuário, feito pelo IBGE em 2009: “Este censo trouxe informações importantes, uma delas é de que vocês da agricultura familiar são os grandes responsáveis pela produção de alimentos no país, também que a agricultura familiar é que gera mais empregos no campo. Isso só prova que não estamos partindo apenas de uma filosofia, de uma ideologia, mas sim de dados concretos”, afirmou.

Partilha da colheitaApós esse momento de debate e socialização de experiências, os participantes venderam e trocaram produtos, receitas, ensinamentos valiosos no espaço da feira, que contou com a animação da Banda Gigahertz, formada por jovens do município de Remígio-PB. Antes de encerrar o dia foi realizado um bingo e renda foi revertida em prol da Campanha de arrecadação que o Comitê de Solidariedade Ana Alice está promovendo, para levantar fundos para o pagamento das custas judiciais do caso da jovem militante do Polo da Borborema da cidade de Queimadas, assassinada em 2012.

O encerramento do evento aconteceu com um almoço, oferecido pelo Sindicato e com uma visita de intercâmbio de 20 agricultores do município pernambucano de Afogados da Ingazeira à experiência do banco de sementes comunitário do sítio Maracajá, também em Queimadas.

Isto foi postado em Notícias dentro de com os temas e as tags
Faça um comentárioCompartilhe no Facebook

2 comentários

  1. LOTHARIO LOHMANN
    Postado 23 de outubro de 2013 às 2:07 | Permalink

    Ainda mais um comentário ref. aos volores que a (Conab) oferece aos agricultores familiares , eu só posso chamar isso uma pouca vergonha além de já a algum tempo não reajustarem os valores pagos muitos dos mesmos ainda foram reduzidos para baixo, durma-se com um barulho igual a esse.

  2. LOTHARIO LOHMANN
    Postado 23 de outubro de 2013 às 1:48 | Permalink

    Gostei muito que foi lançado o plano nacional de agroecologia e produção organica, tudo muito bom,tudo seria uma maravilha se por outro lado não se permetisse a liberação de tudo que é lixo e que em outros países é proibido aquí no país tupinquim é permitido usar, na nossa região oeste do PR não se coseque mais produzir milho e soja organico tudo esta contaminado por essa( m…..) que foi primeiramente contrabandeda para dendro do País e depois aprovada pelos ganancioso do lugro facil e rapito,agora parrese que até o arroz nosso já tem transg. aí alardeia-se em produzir organicamente, aja folego para tudo isso.

Postar um comentário

Seu email nunca vai ser compartilhado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Login with Facebook

*
*