Agricultoras da Borborema conhecem fogões ecológicos em Afogados de Ingazeira (PE)

Para reverter essa situação, algumas estratégias importantes foram experimentadas, tais como a diversificação da produção nas cisternas, a criação de pequenos animais de terreiro, cursos de educação ambiental, etc.

Nessa mesma perspectiva de cuidado com o meio ambiente, foi iniciado o trabalho com os ecofogões, uma tecnologia que tem como grande potencial o baixo consumo de lenha (redução em até 50%), além da eficiência no cozimento da alimentação. Eles também minimizam os problemas à saúde causados pela fumaça e fuligem dos fogões à lenha convencionais e diminuem o esforço do trabalho da mulher, que antes fazia o transporte de grandes quantidades de lenha para o cozinhar os alimentos. 

A experiência vem sendo conduzida há dois anos e na região já são aproximadamente 300 ecofogões implantados em propriedades familiares apenas pela Casa da Mulher.

A primeira visita, no dia 19 de setembro deste ano, aconteceu na Comunidade de Monte Alegre, na propriedade de dona Maria das Dores, seu Juvenal e três filhos. A família foi uma das primeiras experimentadoras, já tendo um ecofogão há dois anos. A gente não acreditou muito no início que aquele tipo de fogão poderia dar certo e hoje não nos separamos mais dessa inovação, disse ela.

Em aproximadamente quatro semanas a família foi beneficiada com outro ecofogão, sendo que desta vez com forno, que foi uma doação do Projeto Dom Helder Câmara. A justificativa por mais um fogão é porque dona Maria das Dores participa da feira agroecológica e faz muitos bolos para vender na feira.

A segunda visita aconteceu na Comunidade Santo Antonio II, onde dona Josefa e seu Edinaldo vivem com seus cinco filhos. Um fogão geoagroecológico foi construído há três meses, contando com o apoio da ONG Agenda para ministrar uma oficina de capacitação e construção do fogão. O equipamento ainda está em experimentação e, enquanto a família continua usando o fogão convencional, aos poucos vai aprendendo a usar o geoagroecológico. A vantagem desse modelo é que a reprodução de novos fogões pode acontecer sem problemas em virtude de ser uma patente social, o que não é o caso dos ecofogões.

Após a visita a Ingazeira, as agricultoras da Borborema se reuniram para discutir qual o melhor modelo para iniciar a experimentação na Paraíba.

Fiquei muito entusiasmada com o fogão geoagroecológico. Acredito que dentro de nossa realidade essa é uma opção interessante e adaptada a qualquer família agricultora. Esse modelo não tem dependência de ser comprado das empresas. As próprias famílias podem fazer a confecção dos fogões, declarou Angineide, do STR de Queimadas.

Já para Giselda, da Coordenação do Polo da Borborema, os dois modelos devem ser experimentados na região: Precisamos discutir com as famílias que têm interesse em fazer experimentações. Depois vamos tirando as conclusões sobre qual formato corresponde às necessidades das famílias agricultoras na Borborema.

A partir dos depoimentos, ficou estabelecido com as mulheres que a experimentação começará com 20 fogões ecológicos sem forno. Além disso, a ONG Agenda será convidada para fazer uma capacitação sobre o uso do fogão geoagroecológico e também trazer a experiência desse modelo.

A possibilidade de contato e aprendizado direto entre agricultores faz das visitas de intercâmbio uma das atividades mais apreciadas pelas famílias participantes do Projeto Agroecologia na Borborema.

Para saber mais sobre o projeto, clique aqui.

 

 

Isto foi postado em Notícias dentro de com os temas , e as tags , , ,
Imprimir Este ArtigoFaça um comentárioCompartilhe no Facebook

Um comentário

  1. Postado 16 de agosto de 2011 às 20:53 | Permalink

    PARABENS PELA PRATICIDADE DAS MATÉRIAS. POIS É MUITÍSSIMO DIFÍCIL FAZER ECOLOGIA DE BARIGA VAZIA, SE NESSECITA DE SOCIOAMBIENTALISTAS ATIVISTAS COMO VOCÊS.

    Abs na ALMA.

    SANTA CRUZ CABRALIA – BAHIA

Postar um comentário

Seu email nunca vai ser compartilhado. Campos obrigatórios são marcados com *

Login with Facebook

*
*

Você pode usar estas tags HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Current month ye@r day *