Agricultores familiares do Paraná ampliam conhecimentos em manejo ecológico de solos

A atual crise que a agricultura familiar vem vivendo no centro-sul do Paraná está atrelada, principalmente, aos baixos preços dos produtos agrícolas e o alto custo de produção, fatores estes, ancorados nas mãos de multinacionais e na dependência de energia petroquímica. É dessa forma que muitos agricultores são obrigados a buscar fora de suas propriedades uma renda que supra as necessidades de suas famílias. Para que esta realidade não venha a se agravar na região, parcerias regionais vêm sendo fortalecidas. Uma dessas parcerias inclui AS-PTA, CNPq, UFPR, UEL, Sindicatos dos Trabalhadores Rurais, Colégio Agrícola de Palmeira e agricultores e agricultoras do centro-sul do Paraná.

Como mais uma busca para o enfrentamento desta crise, agricultores, estudantes professores e técnicos realizaram a instalação de área experimental em manejo ecológico de solos na comunidade da Guaiaca em São João do Triunfo. O manejo desta área experimental consiste na análise de práticas como adubação verde de inverno, uso de fertilizantes alternativos (como o pó de rocha), fixação biológica de nitrogênio (FNB) em leguminosas (ervilhaca) e gramíneas (milho) e sementes crioulas em plantio direto.

Muitos resultados já são analisados e discutidos pelo grupo: o uso de adubação verde de inverno, no caso ervilhaca, promove uma proteção ao solo, evitando a perda de água por evaporação, mobiliza nutrientes, fixa nitrogênio e sua cobertura morta auxilia no controle de plantas espontâneas. Já o pó de rocha como a fosforita e o pó de basalto são utilizados por agricultores como uma técnica de remineralização de solos. O uso destas rochas locais tem baixo custo e vem mostrando bons resultados agronômicos, em especial, em sistema com base ecológica. A otimização dos sistemas produtivos com base ecológica tem na FBN mais uma ferramenta que podemos usar, permitindo fornecer o nutriente nitrogênio (N) em quantidades satisfatórias e com um baixíssimo custo, utilizando este processo que ocorre constantemente na natureza. Em lavouras que usam agrotóxicos e adubos químicos este processo biológico tem seus efeitos praticamente anulados. No entanto os milhos crioulos em manejo ecológico e por meio de inoculação têm seu potencial de FBN aumentado.

Todas estas práticas são trabalhadas como ferramentas para que a agricultura familiar possa ter autonomia, por meio da manutenção e ampliação a fertilidade dos solos, baixo custo de produção, conhecimento para produzir suas próprias sementes e manejá-las da maneira mais apropriada para sua realidade.

Isto foi postado em Notícias dentro de com os temas e as tags , ,
Faça um comentárioCompartilhe no Facebook

Postar um comentário

Seu email nunca vai ser compartilhado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Login with Facebook

*
*