Encontro Nacional de Agricultores Experimentadores começa na próxima segunda-feira (28) em Campina Grande-PB

Encontro AE da ASA-PBComeça na próxima segunda-feira 28, e segue até a quinta-feira, 31 de outubro, III Encontro Nacional de Agricultoras e Agricultores Experimentadores do Semiárido, que reunirá no Garden Hotel em Campina Grande, mais de 260 agricultores dos nove estados do Nordeste e de Minas Gerais que fazem parte da região semiárida brasileira.

O encontro tem como tema: “Guardiões da biodiversidade cultivando vidas e resistência no Semiárido” e é promovido pela Articulação Semiárido Brasileiro (ASA Brasil), uma rede composta por mais de três mil organizações envolvidas com as temáticas da agricultura familiar de base agroecológica e convivência com o Semiárido. O evento pretende promover troca de experiências entre os agricultores familiares de todo semiárido, valorizar e dar visibilidade ao conhecimento acumulado dessas famílias na construção da agroecologia e ativar redes de troca de conhecimentos para que as pessoas possam conviver com o Semiárido a partir dos recursos locais. A primeira edição do evento ocorreu na cidade do Recife, em 2009, e a segunda em 2011 no município de Pesqueira, na região do agreste de Pernambuco.

O encontro terá início às 8h30 com apresentação da Banda de Pífanos do município de Queimadas enquanto as caravanas montam uma feira de Sabores e Saberes que vai expor plantas, sementes, mudas, cordéis, artesanatos e também materiais que contam as experiências desenvolvidas pelas famílias agricultoras de todo o Semiárido. A feira será acompanhada pela ‘Rádio Feira’, que vai interagir com os agricultores, fazer a cobertura dos principais momentos da programação e animar o evento com música e poesia.

No período da tarde, haverá uma plenária conduzida por lideranças agricultoras que irá trazer ao debate as múltiplas estratégias de superação e convivência com anos de estiagem prolongada. A partir de testemunhos, os agricultores analisarão como estão enfrentando uma das mais agudas estiagens dos últimos 30 anos. A noite será animada pelo show de Benedito do Rojão, pandeirista de Campina Grande da escola de Jackson do Pandeiro, o ‘rei do ritmo’.

No segundo dia do encontro (29), os participantes irão conhecer experiências de famílias agricultoras paraibanas das regiões da Borborema, Cariri e Curimataú. As delegações de agricultores dos dez estados se dividirão em 12 grupos, que visitarão as três regiões próximas a Campina Grande. Serão visitados os municípios de Remígio, Massaranduba, Alagoa Nova, Bananeiras, Nova Palmeira, Gurjão, Cubati, São Vicente do Seridó e Soledade.

Os visitantes irão conhecer experiências exitosas organizadas em quatro temáticas: bancos de sementes crioulas familiares e comunitários, quintais produtivos, manejo agroflorestal e criação animal. No tema das sementes, conhecerão como as famílias da Paraíba se organizam para ter sementes adaptadas na hora certa do plantio. No tema dos quintais produtivos, os participantes debaterão sobre a multiplicidade de papéis do arredor de casa na produção de alimentos, no bem-estar da família, na geração de renda e na valorização papel da mulher agricultora. Já no tema do manejo agroflorestal conhecerão as práticas dos agricultores que plantam seu roçado na Caatinga de forma consorciada com as espécies nativas do bioma, mantendo a vegetação ou revegetando a paisagem, mitigando os efeitos da desertificação. E as experiências sobre a criação animal que vem aprimorando o manejo alimentar a partir da estocagem de insumos da propriedade, mantendo os animais sadios mesmo em época de estiagem prolongada como a que vivenciamos atualmente.

Na noite do segundo dia, as cirandeiras de Caiana dos Crioulos, comunidade quilombola do município de Alagoa Nova irão abrir a programação que será recheada por apresentações culturais vindas de cada estado.

A manhã do terceiro dia terá a realização de duas atividades paralelas: um conjunto de oito oficinas para aprofundamento dos quatro temas das visitas de intercâmbio realizadas no dia anterior e um seminário “Assessoria Técnica às redes de agricultores experimentadores: avanços e desafios”. Ambos ocorrerão das 8h30 às 12h. Nas oficinas temáticas, será a vez dos agricultores dos outros estados e de outras regiões da Paraíba apresentarem as suas experiências e compartilharem o seu saber. Já o seminário será voltado para técnicos e educadores de organizações não-governamentais e outras entidades de assessoria a agricultores.

Peça de Teatro – Na parte da tarde, haverá a apresentação da peça de teatro “Margarida e Biu – os caminhos da agricultura na Borborema”, encenada pelo Grupo de Teatro Amador do Polo da Borborema. Organizadas em duas esquetes, a peça mostrará as histórias de duas famílias que optaram por modelos de agricultura distintos: o do agronegócio que desconsidera o saber do agricultor e tira das famílias a sua autonomia e o modelo da agroecologia que parte justamente do conhecimento surgido dentro da famílias, repassado de geração para geração. O dia será encerrado com um show da cantora paraibana Sandra Belê e da Banda Forró Mania.

Políticas públicas – O quarto e último dia do evento será voltado ao debate sobre as redes de agricultores experimentadores, a construção da proposta de convivência com o Semiárido da ASA e sua contribuição para as políticas públicas, além do papel das políticas para o fortalecimento das redes de agricultores experimentadores para a convivência com o semiárido. Para este momento foram convidados gestores públicos e autoridades de órgãos como o Ministério do Desenvolvimento Agrário, Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Petrobras, Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES), Empresa Brasileira de Assistência Técnica e Rural (Emater), entre outros.

Isto foi postado em Notícias dentro de com os temas e as tags , ,
Faça um comentárioCompartilhe no Facebook

Um comentário

  1. Postado 28 de outubro de 2013 às 15:05 | Permalink

    Iniciativas igual a essa, faz com que os agricultores do Semiárido Brasileiro, mostrem suas ideias, compartilhem do debate, mostrando ao mundo, que não somos “coitados” nem queremos “esmolas”, mas que somos cidadãos e exigimos políticas públicas capazes de favorecer um desenvolvimento sustentável, nesse lugar que é nosso.

Postar um comentário

Seu email nunca vai ser compartilhado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Login with Facebook

*
*