Livro – Mosquitos Geneticamente Modificados: Preocupações Atuais

mosquito geneticamente modificadoOxitec, uma empresa britânica de biotecnologia, liberou recentemente no Brasil milhões de mosquitos geneticamente modificados, depois de haver realizado experimentos menores nas Ilhas Cayman e na Malásia. Esta empresa também espera realizar experimentos em uma escala ainda maior no Brasil e iniciar novos experimentos no Panamá, Estados Unidos (Flórida Keys), Índia, Sri Lanka e talvez em outros países.

A técnica patenteada pela Oxitec para modificar insetos é conhecida como RIDL (do inglês, Liberação de Insetos que Carregam um Gene Letal Dominante).1 Até agora, todos os experimentos que esta empresa realizou em campo foram com a cepa do mosquito Aedes aegypti OX513A que foi geneticamente modificado e, portanto, contém tanto um marcador fluorescente vermelho, como RIDL ou o traço “de letalidade condicionada”.

O objetivo deste experimento é que os mosquitos machos OX513A da Oxitec se cruzem com as fêmeas silvestres e produzam descendência, e que esta descendência morra ainda na fase de larva. Para tanto, espera-se que a liberação de um grande número de machos transgênicos – maior que a população atual de machos silvestres – com o tempo reduza a população total dos mosquitos adultos, já que muitas das crias transgênicasnão sobreviverão à idade adulta. Os mosquitos transgênicos (geneticamente modificados) liberados nestes experimentos sãodoença tropical da dengue. Antes da liberação dos mosquitos transgênicos nas Ilhas Cayman e no Brasil não foram publicadas as avaliações de risco, nem foi realizada consulta à população.

Na Malásia, somente foi publicada um resumo da avaliação de risco. GeneWatch obteve cópias das avaliações de risco no Reino Unido, já que a Oxitec deve apresentá-las como requisito para a exportação de ovos de mosquitos transgênicos e para sua liberação pela primeira vez em um determinado país. Em nenhum caso a empresa cumpriu corretamente com o procedimento de notificação, portanto, não foi possível realizar uma análise independente para estabelecer se as avaliações de risco cumpriam ou não com as normas européias.

Existem muitas preocupações sobre a tecnologia utilizada pela Oxitec. Algumas perguntas ainda estão sem respostas. Veja as informações sistematizadas no livro escrito por Helen Wallace traduzido por Camila Moreno.

Mosquitos Geneticamente Modificados: preocupações atuais

Isto foi postado em Documentos com os temas e as tags ,
Imprimir Este ArtigoFaça um comentárioCompartilhe no Facebook

Um trackback

  1. Por A polêmica do mosquito transgênico | Cultura e Saúde em 17 de novembro de 2014 às 16:08

    [...] com esses mosquitos, com finalidade de oferecer seus serviços para o combate à dengue (leia aqui uma reportagem do G1 sobre o [...]

Postar um comentário

Seu email nunca vai ser compartilhado. Campos obrigatórios são marcados com *

Login with Facebook

*
*

Você pode usar estas tags HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Current month ye@r day *