Região da Borborema recebe visita de representantes de Rede Internacional de Agroecologia

PrintGrupo de visitantes vem da Etiópia, do Senegal, da Índia, do Peru e da Holanda.

No período de 31 de agosto a 04 de setembro, a região da Borborema receberá a visita de um grupo de representantes de organizações da Europa, África, Ásia e América Latina que integram a AgriCultures Network, uma rede dedicada a apoiar atividades de sistematização e divulgação de experiências em agroecologia pelo mundo afora. A atividade mais conhecida da ação em rede é a produção de revistas dedicadas à divulgação e análise de iniciativas de agroecologia. A revista Agriculturas: experiências em agroecologia, editada pela AS-PTA – Agricultura Familiar e Agroecologia, corresponde à edição brasileira do projeto editorial da rede. Produzida desde 2004 e com tiragens trimestrais, a revista é distribuída para milhares de subscritores de todas as regiões do país.

O grupo que visitará a região da Borborema é composto por representantes de organizações que editam revistas similares em países da África, Ásia, América Latina e Europa. As revistas produzidas pela rede chegam regularmente a mais de um milhão de leitores por meio de edições publicadas em inglês, francês, espanhol, português e 5 línguas locais da Índia.

O início da visitação, na segunda-feira (31/08), ocorrerá no assentamento Junco, município de Remígio-PB. A partir da experiência de trabalho com princípios agroecológicos da família de Marinalva Belarmino, a Nalva, o grupo terá contato com as iniciativas articuladas na região pelas mulheres agricultoras experimentadoras, Conhecerão particularmente as iniciativas de sistematização e de comunicação de experiências como estratégia de apoio à experimentação agroecológica por parte das famílias e comunidades rurais da Borborema. Na tarde do dia 31/08, os visitantes se reunirão na sede da AS-PTA, onde o Polo da Borborema apresentará a forma como organiza o seu trabalho na região. Após essa atividade, às 18h, o grupo participará do lançamento do vídeo “Minha vida é no meio do mundo” no Cine RT em Remígio-PB. Produzido pelo AS-PTA em parceria com o Polo, o vídeo mostra o encontro de histórias de mulheres que conseguiram abrir as portas de suas vidas para conquistar o mundo, um mundo novo, cheio de oportunidades e de construção de novas relações de gênero, livres da opressão.

No dia 01 de agosto, terça-feira, o grupo visitará a propriedade do jovem Alex da Silva Marques, no Sítio Cachoeira de Pedra D’água, em Massaranduba-PB. Além de conhecerem o trabalho de Alex e de sua família, terão a oportunidade de entender como a Comissão de Jovens do Polo da Borborema vem se articulando regionalmente. Nos dias 02 e 04 de setembro a Rede AgriCulturas estará reunida para definir as atividades para 2016.

Seminário Internacional – No dia 03 de setembro, a partir das 14h, no Auditório do Centro de Extensão José Farias da Nóbrega, da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), o grupo visitante participará do Seminário Internacional: “A Agroecologia no Mundo e a Encíclica Ecológica”.

O documento chega para ocupar um lugar na vanguarda do pensamento político contemporâneo. O reconhecimento do Vaticano de que não há crises separadas, uma ambiental e outra social, mas sim uma complexa crise socioambiental, anuncia a superação pela Igreja do pensamento que supõe a sujeição da natureza ao domínio humano, ao mesmo tempo em que resgata e atualiza a perspectiva teológica emancipatória que inspirou as comunidades eclesiais de base (CEBs) na América Latina durante nas décadas de 1970 e 1980. Foi nesse período de exceção política e nas CEBs que as raízes do movimento pela agroecologia se estabeleceram no continente latinoamericano. Desde então, a proposta agroecológica vem se desenvolvendo e se irradiando, ganhando crescente reconhecimento nos mundos acadêmico e político-institucional: “Ao formular um questionamento radical à agricultura industrial e à lógica econômica do agronegócio, o enfoque agroecológico tem se disseminado em todo o mundo, reafirmando o papel protagonista que a agricultura familiar camponesa e os povos e comunidades tradicionais deverão assumir na construção de saídas para a crise planetária”, afirmou Paulo Petersen, editor da Revista Agriculturas no Brasil.

Das 14h às 16h30 acontecerá o painel A Agroecologia no Mundo: avanços e perspectivas, que terá como painelistas: Mamadou Bara Guèye (IED-Afrique – Senegal) – perspectiva africana; Komaravolu Venkata Subrahmanya Prasad (AME Foundation – India) – perspectiva asiática; Edith van Walsun (Ileia – Holanda) – perspectiva europeia e Rogério Neuwald (Secretaria Geral da Presidência da República, coordenador da Comissão Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica – Cnapo) e Gabriel Bianconi Fernandes (AS-PTA-Brasil) tratarão dos desafios da institucionalização do enfoque agroecológico em políticas públicas.

Os conteúdos e significados da Encíclica Ecológica serão apresentados e debatidos das 17h às 18h30 a partir de exposição realizada pelo professor Guilherme da Costa Delgado do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – Ipea, e consultor da Comissão Brasileira de Justiça e Paz.

 

Seminario internacional

Isto foi postado em Notícias dentro de com os temas e as tags
Faça um comentárioCompartilhe no Facebook

Postar um comentário

Seu email nunca vai ser compartilhado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Login with Facebook

*
*