Número especial – Agroecologia Política na Rio+20

 

Agriculturas – Edição Especial Rio+20

Imprimir Este ArtigoFaça um comentárioCompartilhe no Facebook

4 comentários

  1. Deize luci G. Alves
    Postado 28 de julho de 2012 às 2:08 | Permalink

    Sou diretora de uma escola Municipal de tempo integral, observamos que as professoras encontram dificuladades para preparar suas aulas de meio ambiente de uma forma que chama atenção dos alunos. Qualquer ajuda que possamos obter para auxilia-las sera bem vindo.

    • Postado 9 de fevereiro de 2015 às 3:11 | Permalink

      Só vi o post agora, mas talvez possa ajudar:

      Aprendizagem social e unidades de conservação: aprender juntos para cuidar dos recursos naturais./ coordenador, Pedro Roberto Jacobi.; coordenadores editoriais, Luciana Yokoyama Xavier e Marcelo Takashi Misato. – - São Paulo: IEE/PROCAM, 2013.
      94p

      http://www.icmbio.gov.br/educacaoambiental/images/stories/biblioteca/gestao_participativa/MANUAL_APRENDIZAGEM.pdf

      “práticas educativas ambientalmente sustentáveis nos apontam para propostas
      de ação com vistas à mudança de comportamento e atitudes, ao desenvolvimento da organização social e da participação coletiva.”

      Muito obrigada.
      Luciana

      • Postado 9 de fevereiro de 2015 às 3:18 | Permalink

        Tem tb:

        Agenda 21 Escolar – Embu das Artes
        Publicado em 15/04/2013
        Tags:
        Educação Ambiental6)Participação e Cidadania

        Em junho de 2004, o tema da Semana do Meio Ambiente, desenvolvido pela Prefeitura Municipal de Embu, através de sua Secretaria de Meio Ambiente, foi a Agenda 21. Saúde, educação, gerenciamento de resíduos sólidos, gerenciamento de recursos hídricos, juventude, geração de emprego e renda, uso e ocupação do solo foram os principais assuntos discutidos e tiveram como desdobramentos da Semana a criação dos Grupos de Trabalho (GTs) para cada tema.

        O GT Educação realizou sete encontros na Sociedade Ecológica Amigos de Embu (SEAE), de julho a dezembro, com diversos representantes – educadores, diretores, agentes de saúde, associações religiosas, lideranças comunitárias, DLIS (Desenvolvimento Local Integrado e Sustentável), empresariado e representantes do poder público,
        iniciando um importante exercício de pensar a educação para a sustentabilidade. Dando continuidade a esse processo, neste ano de 2005, a Sociedade Ecológica Amigos de Embu, em parceria com as Secretarias Municipais de Meio Ambiente, Educação, e Diretoria de Ensino-Região de Taboão da Serra, que coordena as escolas estaduais no município, e fi nanciamento do Fundo Estadual de Recursos Hídricos (FEHIDRO), está lançando o Projeto Agenda 21 Escolar de Embu das Artes.

        Este é um programa que compreende a formação de educadores ambientais da rede pública estadual e municipal e, ao mesmo tempo, objetiva instrumentalizar as escolas e comunidades dos bairros para que se tornem agentes da elaboração de Agendas 21 de cada uma das escolas parceiras, envolvendo neste processo toda a comunidade escolar e a comunidade do entorno.

        O projeto Agenda 21 Escolar não pretende ser um modelo padrão, homogêneo, um guia ou manual, mas um desencadeador de processos para a construção de comunidades educativas capazes de elaborar, participativamente, diagnósticos de desafi os, escolha de prioridades e elaboração de planos de ação para a resolução dos problemas detectados em cada realidade escolar, a partir de seu contexto histórico, geográfi co, econômico, social e cultural. Sugere as várias fases de desenvolvimento da Agenda 21 na Escola: como começar, quem envolver, que atividades realizar, em que momentos, como fazer o diagnóstico, como preparar planos de ação referente aos “sonhos coletivos” da comunidade educativa — que escola queremos, que bairro sonhamos? Que sonho de cidade fertiliza a nossa imaginação e dá vida às nossas esperanças? Que cidadão precisa ser formado pela nossa comunidade educativa, capaz de transformar “sonhos” em realidades, onde o acolhimento, o cuidado, a beleza e a solidariedade para com a vida sejam os referenciais éticos norteadores de currículos, conteúdos e ações pedagógicas?

        Publicação disponível em: http://www.embudasartes.sp.gov.br/e-gov/public/arquivos/2012/08/agenda21

  2. Katia Caneppele
    Postado 12 de junho de 2012 às 11:59 | Permalink

    Gostaria de estar informada das atividades de agroecologia e agricultura familiar. Obrigada.

Postar um comentário

Seu email nunca vai ser compartilhado. Campos obrigatórios são marcados com *

Login with Facebook

*
*

Você pode usar estas tags HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Current month ye@r day *